Macrotransição
SP • 11 3075-3034 - RJ • 21 9.9660.4661
Av. Paulista, 1.765 - 7º andar - São Paulo - SP

Tam está a um passo de desistir da compra da Trip

16/12/2011 14:33
A Tam Linhas Aéreas pode não concluir a aquisição de 31% no capital da Trip Linhas Aéreas. O acordo passa por uma avaliação da companhia e não há prazo para conclusão dos estudos. De acordo com a Tam, o processo de duedilligence (avaliação da saúde financeira, fiscal e jurídica da empresa a ser comprada) já terminou e foi satisfatório mas, apesar da ampliação do acordo de codeshare (partilhaento de voos), a Tam está avaliando os resul tados dessa ampliação e mesmo se é o melhor momento para tomarmos a decisão sobre a aquisição dos 31% de participação na empresa, informou a Tam em nota ao BRASIL ECONÔMICO.

Em março, quando as duas companhias assinaram o memorando de intenções, as negociações eram dadas como certas. Isso porque, a Tam tinha uma estratégia de crescer no mercado regional não com compartilhamento de voos, mas com a aquisição de participação nas maiores empresas. Tanto é que a Tam comprou a Pantanal em 2010 e a partir daí tentava travar o crescimento da Azul Linhas Aéreas que era um concorrente de peso nesse mercado.

As rotas atuais da Tam e da Trip, em sua grande maioria, são complementares. A melhoria da conectividade poderá gerar um fluxo de passageiros ainda maior para as duas companhias afirmaram as companhias em comunicado divulgado na época.

A previsão era que todo o processo de avaliação da Trip fosse concluído até agosto. Mas as negociações se estendem por nove meses e não há previsão de quando serão concluídas.

Entretanto, o negócio com a Trip é a melhor maneira da companhia fundada pelo Comandante Rolim Amaro de se manter na liderança no mercado brasileiro e regional. Para o professor associado à Fundação Dom Cabral, Hugo Tadeu, a Tam teria mais capilaridade com o aumento de participação na Trip, pois, a companhia regional tem entrada em cidades de pequeno e médio porte, onde mais cresce a aviação no país.

Segundo estudos da Tam, o mercado nacional deverá apresentar um crescimento de 9% ao ano pelos próximos 10 anos e o que vai puxar esse aumento é justamente os voos regionais.

Além disso, a Trip precisa desse dinheiro para avançar no mercado regional. Ela agora tem uma concorrente de peso nessas rotas. A Azul encomendou 22 aviões do tipo ATRs para atuar em rotas menores. A única maneira dela fazer frente a essa expansão da Azul é aumentar sua frota na mesma proporção, disse Tadeu.

Para este ano, pelo plano de negócios da Trip a sua frota deve encerrar com 57 aeronaves.

Queremos sustentar o desempenho da companhia e a liderança no mercado de aviação regional. Por isso, é importante a associação da Tam em nossa empresa, pois, nos dará condições de continuarmos os investimentos em frota para atender o aumento da demanda?, disse na época José Mário Capriolli, presidente da Trip Linhas Aéreas.

Fonte: Brasil Econômico - Ana Paula Machado, 15.12.2011

Nome:
E-mail:
Comentário:
Digite os caracteres abaixo:
Comentário enviado com sucesso!
Aguarde a aprovação!