Macrotransição
SP • 11 3075-3034 - RJ • 21 9.9660.4661
Av. Paulista, 1.765 - 7º andar - São Paulo - SP

Soros vai parar de investir recursos de terceiros

27/07/2011 23:42
A firma do titã dos fundos de hedge George Soros planeja parar de gerir recursos para investidores externos e está devolvendo menos de US$ 1 bilhão a seus clientes, de acordo com uma carta que a firma enviou aos acionistas e uma pessoa a par do assunto. O fundo atualmente administra mais de US$ 25 bilhões, disse essa pessoa.

A firma também afirmou que Keith Anderson, o diretor de investimentos da Soros Fund Management LLC desde 2008, está deixando a empresa como parte de seu fechamento para investidores externos. Ele planeja buscar outras oportunidades, informou a empresa.

Os acontecimentos foram primeiro noticiados pela Bloomberg News.

Na carta, a empresa de Soros cita regulamentações futuras como um dos motivos da mudança, especificamente uma regra da Securities and Exchange Commission (SEC, a comissão de valores mobiliários americana) exigindo que muitos gestores de investimentos sejam registrados na SEC até março de 2012. Uma exceção, observa a carta, é aberta a organizações que operam como uma empresa familiar, que é o que a firma de Soros planeja fazer.

A saída de Anderson deixa um vazio na liderança. Soros — que completa 81 no mês que vem — vai continuar como presidente do conselho e ainda envolvido nos negócios, mas ele não toca as operações do dia a dia.

"Uma consequência infeliz dessas novas circunstâncias é que não mais teremos como gerir recursos para pessoas que não sejam clientes familiares conforme definido pela regulamentação", diz a carta, assinada por Jonathan Soros e Robert Soros, ambos vice-presidentes do conselho. Eles observam que o Soros Fund efetivamente opera como uma empresa familiar desde 2000, quando George Soros anunciou uma mudança no foco dos investimentos.

Soros é famoso por sua aposta em 1992 contra a libra esterlina que resultou num ganho de US$ 1 bilhão para seu fundo de hedge Quantum.

Filho de um garçom, Anderson foi criado em North Attleboro, no Estado americano de Massachusetts. Depois de obter um mestrado em administração de empresas da Universidade Rice, ele entrou para o grupo de renda fixa da Criterion Asset Management em Houston, uma firma de investimentos de US$ 10 bilhões. Lá ele trabalhou em novos produtos, como títulos lastreados por créditos imobiliários e obrigações garantidas por créditos imobiliários. À medida que esses produtos ganharam importância, a estatura de Anderson cresceu.

Depois de passar um ano no banco de investimentos First Boston, que hoje faz parte do Credit Suisse Group, ele entrou para a BlackRock, onde ficou cerca de 20 anos.

Anderson conheceu Soros no fim de 2007, e os dois, que compartilhavam de uma visão pessimista do sistema financeiro, se deram bem. Ele foi contratado em fevereiro de 2008.

Fonte: The Wall Street Journal - WSJ Americas - Steve Eder e Gregory Zuckerman, 26.07.2011

Nome:
E-mail:
Comentário:
Digite os caracteres abaixo:
Comentário enviado com sucesso!
Aguarde a aprovação!