Macrotransição
SP • 11 3075-3034 - RJ • 21 9.9660.4661
Av. Paulista, 1.765 - 7º andar - São Paulo - SP

Salute quer ganhar clientes pelo estômago

23/02/2012 10:40
Empresa prevê alta de 25% no faturamento de 2012, que será de R$ 50 mi
Anterior 1 de 1 Próxima
Para crescer no mercado de iogurtes, a Salute quer avançar em nichos, com produtos com sabores tropicais, como limão, graviola e manga. A estratégia, explica Elder Marcelo Duarte, proprietário da empresa, é ocupar espaços deixados por grandes competidores. "Tentamos inovar em sabores e embalagem, porque o varejo abre mais as portas para uma empresa de menor porte quando ela mostra alguma coisa diferente dos gigantes", diz. No ano passado, a Salute faturou R$ 40 milhões e projeta avançar 25% em 2012, atingindo receita de R$ 50 milhões. O impulso virá não só dos sabores exóticos, mas também do crescimento do mercado de iogurtes, beneficiado nos últimos anos pelo crescimento do poder de compra da classe C. "O iogurte é um dos ícones do crescimento do consumo. Quando o tamanho total do mercado cresce, os competidores começam a diversificar, pois há massa crítica para produtos inovadores", observa Duarte. "Há dez anos, iogurtes ocupavam um cantinho no supermercado, hoje são uma categoria importante", completa. A estratégia de investir em sabores diferentes de iogurtes começou há cinco anos. "Até então, estávamos apanhando um pouco, com sabores tradicionais como morango, coco e pêssego. Aí entramos com a linha light, coalhada, probióticos, sabores tropicais. Não vou dizer que isso vende muito, mas abre portas para entrar com toda a linha nos varejistas".

Três lançamentos por ano

Além de iogurtes líquidos, a Salute busca diferenciação em leites fermentados e nos chamados alimentos probióticos, ou funcionais, que, além de nutrição, oferecem benefícios à saúde quando ingeridos regularmente. A meta é fazer pelo menos três lançamentos por ano, sejam novos sabores ou produtos. Em 2012, o primeiro lançamento chega até junho. Os outros dois serão lançados na segunda metade do ano. "Já temos em mente as três novidades que vamos fabricar em 2012. Será na linha de lácteos fermentados. Estamos buscando uma coisa que não existe no mercado, sem similar, justamente seguindo essa estratégia de diferenciação".

Terceirização é 2/3 da receita

A companhia também produz queijos, sucos e creme de leite, mas iogurtes são o carro-chefe do faturamento, respondendo por cerca de 70% de sua receita. A capacidade produtiva total da Salute é de 80 toneladas de iogurte por dia e a produção atual é de 70 toneladas. Produtos com a marca Salute respondem por aproximadamente 1/3 da receita e o restante vem de terceirização, com a produção de iogurte e leite fermentado para redes de supermercados Dia%, Assaí, Tenda e as marcas Icegurt, para a Quala, e Buonna, para a CCL. "A terceirização foi o que deu escala à fábrica, ajudando a reduzir custos próprios com o aumento da escala", afirma Duarte. O executivo tem a intenção de inverter a divisão atual da receita, dando mais espaço a marcas próprias, mas não tem prazo fixo para isso. "Não vamos abrir mão de oportunidades que surgem na terceirização e que sejam negócios lucrativos e seguros", diz Duarte.

Fonte: Brasil Econômico, 22.02.2012

Nome:
E-mail:
Comentário:
Digite os caracteres abaixo:
Comentário enviado com sucesso!
Aguarde a aprovação!