Macrotransição
SP • 11 3075-3034 - RJ • 21 9.9660.4661
Av. Paulista, 1.765 - 7º andar - São Paulo - SP

Profissionalizar a Empresa Familiar assusta você?

27/06/2011 15:44
No último post falei, genericamente, sobre a necessidade de profissionalização da Empresa Familiar.

As fórmulas de profissionalização comentadas por muitos assustam os empresários e as famílias, pois propõem mudanças estruturais no comando das Empresas Familiares. A realidade das Empresas que aplicaram tais fórmulas mostra que esse não é o caminho a seguir.

A profissionalização ideal ocorre a partir da modificação da forma de pensar de todos os membros da família em relação à Empresa - o que levará à modificação de posturas e atitudes dos membros da família, sejam sócios ou gestores.

A partir dessa regra geral, devem ser praticados vários sim´s e não´s, no caminho para a profissionalização da Empresa Familiar.

Na lista dos “sim´s” o primeiro lugar fica, destacadamente, para a separação entre razão e emoção nas tomadas de decisão, no dia-a-dia da Empresa. A seguir surgem itens como a comunicação sobre o desempenho da Empresa, entre familiares-gestores e membros da família que não trabalham nela; a necessidade de desenvolvimento profissional dos familiares-gestores; a separação financeira entre pessoa jurídica e pessoa física; a implantação de reuniões periódicas entre os membros da alta gestão (familiares, ou não); o desenvolvimento dos membros da família para desempenharem o papel de sócios; os esforços para planejamento do processo de sucessão do fundador e demais membros da família; a centralização somente de decisões estratégicas e de crescimento da Empresa.

Entre muitos não´s, estão as decisões paternalistas em geral; a utilização de critérios semelhantes para tratar casos de familiares-gestores que apresentam resultados desiguais (meritocracia); a centralização de todas as decisões, ou da maioria delas, em um (ou alguns) membros da família; a mistura entre o caixa (e as despesas) da família com o caixa da Empresa; o uso da Empresa como agente de solução de conflitos pessoais entre membros da família; a acomodação de situações de emprego de familiares criando cargos na estrutura da Empresa ou aceitando familiares menos preparados para trabalhar na Empresa da família.

Familiares-gestores são, quase sempre, pessoas bem capacitadas, inteligentes, perspicazes, cuja primeira e única experiência profissional desenvolveu-se no dia-a-dia da própria Empresa da família e que, portanto, absorveram hábitos, atitudes e formas de comportamento já existentes na Empresa.

Caso este seja seu caso, experimente dar um primeiro passo em relação à profissionalização; faça sua lista de sim´s e não´s e passe a colocar em prática o mais rápido possível.

Bons resultados!

Nome:
E-mail:
Comentário:
Digite os caracteres abaixo:
Comentário enviado com sucesso!
Aguarde a aprovação!