Macrotransição
SP • 11 3075-3034 - RJ • 21 9.9660.4661
Av. Paulista, 1.765 - 7º andar - São Paulo - SP

Negócios em Família

13/10/2016 15:43

Sabe-se, por pesquisas realizadas em vários países da Ásia, Europa, Estados Unidos e América do Sul, que os negócios familiares possuem diferenciais competitivos positivos em relação aos resultados econômico-financeiros.

Sabe-se também que no mundo dos negócios familiares, grande parte não chegam a ser administrados e fruídos pela terceira geração de familiares, sendo adquiridos ou simplesmente, desaparecendo do mercado.

A principal razão que concorre para essa dificuldade, na maior parte dos casos, são os conflitos familiares que se instalam ao longo do tempo no negócio, por diversas causas:  doença ou perda do fundador, falhas na comunicação entre familiares, aumento do número de familiares que exigem participar do negócio sem que tenham a competência necessária, entrada dos chamados agregados – diretamente no negócio – entre outras causas.

Neste artigo será analisado apenas um dos aspecto que pode concorrer para apoiar o sucesso dos negócios familiares, dentro do espectro de disciplinas que abrangem a Governança Familiar:  relações entre familiares diretos, trabalhando em um mesmo negócio.

 

Relação pai e filho

É a relação mais comum, em volume, que ocorre nos negócios familiares.

A relação profissional é determinada, em grande parte, pela fase de vida em que cada um se encontra, pela experiência profissional, pelas expectativas de pais e filhos, pela qualidade da relação entre esses familiares tão próximos.

 

Relação pai e filha

A sensibilidade natural das filhas, geralmente beneficia o fundador e os negócios da família.

 

Relação mãe e filho

Via de regra, as relações entre mães e filhos são menos tensas do que outras relações familiares, no que tange ao negócio. Uma explicação possível é a existência de um nível menor de competição entre eles. Geralmente as mães encontram nos filhos – na gestão de negócios familiares – apoiadores do trabalho a ser feito e costumam ter mais facilidade para delegar-lhes as responsabilidades pela direção dos negócios.

 

Relação mãe e filha

É uma relação de maior complexidade, nos negócios familiares. Dentro da disciplina do comportamento humano pode-se verificar que mães e filhas, atuando na gestão dos negócios da família, tendem a repetir -no ambiente profissional – o mesmo padrão utilizado em casa que muitas vezes, com o passar dos anos, e com o amadurecimento das filhas, torna-se uma relação de competição.

 

Relação entre irmãos

Na maior parte das famílias, irmãos competem por inúmeros aspectos na vida, iniciando pela competição pelo carinho dos pais.  No caso de muitos negócios familiares com os quais trabalhei, o motivo da competição deu-se pelo controle dos bens familiares e/ou por ocupar cargos que ofereçam maior poder hierárquico.

Por outro lado, quando irmãos constroem relações de confiança e boa comunicação, formam equipes de alto desempenho que podem ser mantidas por toda a vida, agregando valor aos negócios da família.

 

Relação fundador-agregados

Os agregados, nas famílias empresárias (genros, noras, e outros) fazem parte do folclore dos negócios familiares. Figuras controversas, existem inúmeras passagens que pontificam o quanto podem apoiar – ou não – o desempenho dos negócios da família.

Colocando-me no papel de um agregado, teria dificuldade de saber até que grau eu seria um membro da família e sempre levaria para o travesseiro uma análise sobre minha competência/falta de competência na condução do trabalho na empresa de minha esposa (o poder do pillow talk).

 

Relação marido-esposa

Existem dois tipos possíveis de associação entre maridos e esposas, nos negócios familiares. O primeiro tipo é do líder empresarial com um cônjuge de apoio.

Um dos membros do casal administra o negócio enquanto o outro oferece apoio (inclusive moral). Nesta opção, o cônjuge de apoio pode inclusive trabalhar em outro negócio.

O segundo tipo possível é o de sócios-empresários.

O casal trabalha no negócio; são sócios e administradores da empresa. No papel de administradores, pode inclusive ocorrer a situação de que um ocupe um cargo hierárquico de menor grau.

Existem consequências positivas e negativas a respeito deste desenho societário, que variam de acordo com a cultura em que a família/a empresa está situada.

 

Cabe a você, que está lendo este texto, e encontra-se em uma dessas posições, analisar se as indicações definem alguma situação que ocorre em sua família, em seus negócios, e agir no sentido de construir um ambiente harmonioso entre os membros da família, visando a perpetuação dos negócios, de geração para geração.

Nome:
E-mail:
Comentário:
Digite os caracteres abaixo:
Comentário enviado com sucesso!
Aguarde a aprovação!